• Lucão

É escrevendo que se aprende a escrever

Sempre digo isso nos cursos, nos artigos e nos bate-papos que faço: é escrevendo que se aprende a escrever.


Não tem jeito. Você pode fazer cursos, você pode ler muito e ouvir bastante dicas, mas se não colocar a mão na massa, nunca vai saber como fazer para contar suas histórias. É preciso escrever muito para aprender sobre a sua própria escrita. Pois a escrita é uma das habilidades que, quanto mais íntima fica, mais original e saborosa se torna.


Escrever é uma forma de colocar nossas pequenas histórias para fora, de jogá-las para mundo. Para um escritor(a) de literatura, então, escrever é fundamentalmente isso: contar as histórias que só você poderia contar, as mais íntimas, as que só você viu ou viveu ou imaginou. E isso não se aprende em cursos, se aprende escrevendo. É claro para que para a escrita literária não basta só escrever, é preciso lapidar os processos e acrescentar, sobre as histórias, camadas de recursos linguísticos-estilísticos para que o texto ganhe "tom literário", digamos assim. Mas o principal, sem dúvida, é abrir-se ao mundo e revelar o que só você pode revelar.


Eu demorei muito para aprender sobre a minha escrita. E isso não é um lamento, pelo contrário, é uma satisfação que hoje posso compartilhar com vocês. Eu, comigo mesmo, descobri que tenho milhares de histórias para escrever, graças ao meu desejo de escrever mais e ao meu esforço de realizar o desejo.


Todos temos muitas histórias para contar. Por vezes, tentamos contar tudo de uma vez, num texto só, todas as histórias. Mas a verdade é que sobre cada acontecimento da nossa vida existem micro-histórias que podemos escolher para escrever, sobre ângulos diferentes, através de palavras diferentes também.


Por isso escrever é, para muitos, uma habilidade complexa, pois exige tempo e interesse em si mesmo para aprender sobre suas próprias jornadas. Não é só escrever. É escrever, parar, reler, observar por outros ângulos, se propor caminhar por outras estradas, escrever mais e escrever o que ainda não foi escrito.


É escrevendo muito que se aprende a escrever mais e a contar as histórias que você ainda não escreveu.


É isso, se você quer escrever bem, escreva muito. E comece a rabiscar o que você ainda não escreveu. Tenho certeza que têm muitas histórias que ainda não foram contadas e que merecem estar no papel.


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo