• Lucão

Isso não é um poema




Outro dia, navegando pelas redes sociais, li um texto assim "Este poema é para te lembrar o quanto você é importante". Fiquei pensando: "Isto não é um poema só porque diz que é".


A falta de leitura da poesia — ou seja, a falta de conhecimento — faz as pessoas hoje pensarem que toda frase curta publicada na internet é um poema. Por mais que eu faça parte desse bolo que publica versos curtos e confunde a cabeça das pessoas sobre o que é poesia, não posso participar do movimento que não sabe o que é poesia.


Eu amo poesia, leio poesia dia sim, dia sim. Não com a obrigação de quem precisa ler para publicar na internet, mas com a necessidade de quem precisa ler poesia para existir. Depois eu escrevo uns versinhos, mas é muito maior em mim o desejo de ler e desfrutar os poemas do que o de publicá-los. Digo isso para reforçar um fato: é impossível escrever poesia se você não lê e não sabe do que se trata. Sem a leitura, você não enxerga e nem vive os elementos fundamentais ao texto poético, como a potência da escolha de palavras, o mistério das coisas não ditas e a compreensão da subjetividade na escrita do poema e, consequentemente, em quem o lê.


É possível caracterizar a escrita poética, dar razão ao texto, por mais emotivo que ele seja, mas não é isso que vim fazer nesse texto. Quero simplesmente refletir sobre isso, que nem todo texto curto publicado na internet é poesia. Aliás, são poucos os textos poéticos presentes na internet. Não basta escrever a palavra "poema" no poema para que ele vire um poema. É preciso viver a poesia para conseguir jogar com as palavras até encontrar o espanto. O espanto é o termômetro do texto poético. Se eu não me espanto com o texto, se a frase da internet me subestima, não é poesia.


É a falta de conhecimento que faz com que as pessoas escrevam coisas bobas, publiquem na internet e chamem elas de poema. Essa escrita também é fruto de um desejo pequeno de, a partir dessas frases pobres, tornar-se conhecido, ganhar seguidores e likes. Pueril. Desejo com data de validade do prazer muito curta.


Para escrever poesia, primeiro ame a poesia. Esteja disposto(a) a mergulhar no mistério e encontrar mais perguntas do que respostas. Comece sua jornada lendo bastante, e ela nunca terá fim. Caso não queira ou prefira não se dar tanto trabalho, apenas lembre-se que não basta escrever "poema" para que a frase vire um poema. A mágica não acontece assim.


Acontece assim: "Uma ocasião,

meu pai pintou a casa toda

de alaranjado brilhante.

Por muito tempo moramos numa casa,

como ele mesmo dizia,

constantemente amanhecendo.""

Adélia Prado.










80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo